Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Princesa de cristal

Diário de uma sonhadora

30
Mai18

...

cego_surdo_mudo.jpg

É com uma enorme tristeza que confesso... não sei o que é uma verdadeira amizade, daquelas que tantas vezes ouvimos falar. Não, não sou nada do género anti-social, mas ao longo dos anos fui me rodeando de pessoas que foram uma constante desilusão.

Sempre houve "amigas"... mas ou porque precisavam de boleia ou porque eu as podia ajudar nos trabalhos de casa ou mais tarde na idade adulta, dava sempre jeito ter alguém de confiança para desabafar. Cheguei mesmo a pensar que o problema seria meu... que se calhar eu é que não servia para ser amiga. A adolescência passou e felizmente essa ideia parva também!

 

Mas mesmo agora na idade adulta, tive imensas desilusões...e cheguei à conclusão que o meu problema é que parto sempre do principio que as pessoas são boas, honestas, simpáticas e que estão sempre com boas intenções. Não adianta os "baldes de água fria" que levo, porque faz parte de mim ver o ser humano dessa forma. 

Hoje em dia, já não me preocupo se A ou B não me convida pra sair. Se convidar aceito de bom agrado, caso contrário não é isso que me vai deixar deprimida. Tento ser simpática, ajudar sempre que posso e se não gostarem da minha companhia...temos pena!

No trabalho é exatamente a mesma coisa. Já estou na empresa a muitos anos, e desde que entrei tentei afastar-me de mexericos, ditos ou estabelecer uma amizade muito próxima com alguém ali dentro. Sou das funcionárias mais antigas e ao longo dos anos, já entraram e sairam imensas colegas. (algumas das quais mantenho uma relação de amizade ainda hoje). Sempre me dei muito bem com todos, mas sempre tive uma regra de ouro: "eu estou ali para trabalhar, não para fazer amizades". 

Claro que sou simpática, ambiente com bom humor é do melhor, mas assuntos pessoais/ demasiada intimidade devem ficar fora do espaço de trabalho. Caso contrário, acontece o que está a acontecer com uma colega. A direção começou a andar contra ela (sem motivos), e uma das "compinchas" (a quem ela oferecia jantares lá em casa, a ela e ao marido) teve oportunidade de a ajudar e simplesmente calou-se! E isso irrita-me, a capacidade que o ser humano ter de ser hipócrita e de se aproveitar/ neste caso calar, quando lhe convém.

Ambiente de trabalho deve ser um espaço descontraído, sem mexeridos, sem invejas...mas isso é uma verdadeira utopia! Por isso é que eu me mantenho na minha... calma, sem dar grandes confianças, mas nunca deixar os meus princípios de lado. Não ligar a mexericos e muito menos reproduzi-los!

 

Dizem que a idade dá sabedoria, e é bem verdade!  

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.